(Monday 20th of February 2017)
Base de dados de ADN só tem 6000 perfis de condenados. Devia ter 42.000

A base de dados genética foi criada há sete anos. Se todos os arguidos condenados a mais de três anos de prisão constassem da plataforma esta já teria 42 000 amostras de perfis. Mas tem apenas 6000. (Read more)

Username
Password
Base de dados de ADN resolve o primeiro crime
Saturday 11th of February 2012
Author: TVI24/CLC
Published in: TVI24

A Base de Dados de Perfis de ADN, em funcionamento há dois anos, serviu, nos últimos dias e pela primeira vez, serviu para identificar um suspeito de um crime de furto, revelou um responsável à agência Lusa.

«Houve a primeira coincidência entre um perfil que foi inserido de um condenado relativamente a uma amostra-problema de um crime que estava por resolver», explicou Francisco Corte-Real, director da Delegação Centro do Instituto Nacional de Medicina Legal (INML) à agência Lusa.

O responsável adiantou que o crime que estava por resolver era um furto, e que a ocorrência dessa coincidência já foi comunicada aos respectivos magistrados.

«Outras coincidências se espera que venham a ocorrer no futuro. O processo está a seguir o seu curso normal, naturalmente que no início sem grandes resultados», sublinhou, frisando que é expectável que «cada vez mais esta seja uma ferramenta que auxilie a investigação criminal, e a identificação civil».

Francisco Corte-Real manifestou-se convicto que o primeira coincidência entre os dados de um condenado e uma amostra de um crime não resolvido possa incentivar os magistrados a determinar a inserção de mais dados.

«Saber-se que a base de dados está a funcionar, e que quando ocorre uma coincidência o sistema dá imediatamente essa informação, é também mais uma prova de que esta ferramenta está a funcionar e que pode ser utilizada pelos magistrados», concluiu.

A Base de Dados de Perfis de ADN foi criada pela Lei 5/2008, de 12 de Fevereiro. Precisamente dois anos depois foi inserida a primeira informação de um condenado.

Esta base de dados instalada no Instituto Nacional de Medicina Legal (INML), em Coimbra, tem inseridos 395 perfis, a grande maioria de condenados, e alguns de amostras-problema de crimes não resolvidos e para identificação civil.

All news